No Pré II, caguei nas calças pra me vingar da professora

– Posso ir no banheiro, fêssora?

– Não. Aguenta aí.

Esse diálogo marcou o início de uma vingança extremamente fria e plena.

Ao decorrer da minha curta (porém cabulosa) vida, eu fui obrigado a planejar e executar inúmeras vinganças, mas essa em especial é uma das que mais sinto orgulho, principalmente pelo fato de eu ser apenas uma criança de, se me lembro bem, cinco anos, ou seja, extremamente incapaz e inocente.

No Pré II o aluno tem basicamente duas tarefas: dormir e desenhar. Eventualmente, entre uma e outra ele precisa se aliviar, seja fazendo número um ou número dois. Nesse dia eu estava MUITO apertado para fazer número um, popularmente conhecido como XIXI. Eis que durante a aula eu peço permissão à professora para ir tirar a água do joelho no banheiro e ela me nega tal privilégio. Ela só não contava com minha crueldade e meu sangue frio…

Esperei dar a hora do recreio, que é o momento em que eu estaria livre para cagar e mijar sem ter que pedir permissão. Bateu um pensamento rápido e de última hora tomei a decisão de ao invés de ir no banheiro me aliviar, fazer ali na sala mesmo, só pra professora entender que quando eu digo que preciso de algo é porque eu preciso realmente. O problema maior é que ao invés de fazer xixi nas calças, que é o que eu havia pedido, eu me caguei completamente. Tipo, me caguei mesmo. E me caguei na sala de aula. Fiquei lá, paradão na frente da professora antes mesmo dela sair da sala. E todo cagado.

Não contente, eu usei da minha condição de criança de cinco anos para me mostrar incapaz de me limpar sozinho. Na verdade eu era completamente capaz de me limpar por conta própria, mas só para efeitos vingativos eu fiquei completamente sem reação, OBRIGANDO A PROFESSORA A ME LIMPAR.

Resumo: a TIA não deixou eu ir no banheiro e teve que limpar o meu cocô.