Quando coloquei fogo na cara e perdi uma sobrancelha: SCIENCE, BITCH

Eu fui a criança mais curiosa e hiperativa do mundo. Passava o dia todo tentando descobrir coisas novas, estava sempre analisando como alguns mecanismos funcionavam e coisas do tipo. Quando ganhava algum brinquedo, raramente durava mais que três dias porque eu sempre desmontava pra ver como funcionava e eventualmente usar suas peças para fazer algo novo.

Eis que esse dia surgiu em minha cabeça uma curiosidade sobre explosões. “Mas afinal, como essa porra acontece?” pensei. Na época (calculo que tinha uns sete anos) o acesso à internet era limitadíssimo, e a melhor forma que imaginei para estudar uma explosão era simulando uma e observando-a.

Então, eu não tinha muitos meios viáveis para fazer isso, muito menos para fazer isso de forma segura. Mas tive uma ideia um tanto quanto genial: acender vários fósforos de uma vez só. A lógica do meu pensamento era de que se um fósforo ao ser acendido causava um pequeno efeito que lembrava o de uma explosão, porém em escala infinitamente menor, vários juntos seriam capazes de fazer algo digno de ser estudado. Fui no boteco ao lado da minha casa e comprei uma caixa por belos R$ 0,25. Temos, então, essa situação:

Untitled-1(ao contrário do ilustrado na figura acima, eu não tenho Síndrome de Down)

Ou seja, coloquei no chão a caixa com trinta e nove palitos e segurei o de número quarenta na mão direita. No chão, os palitos prontos para serem acesos e nas mãos o necessário para acendê-los. E foi isso que eu fiz: risquei o palito que estava na minha mão e o joguei carinhosamente em meio aos outros quase quarenta palitos dentro da caixa. Curiosamente, tudo estava indo bem até o momento, mas eu cometi o grande erro de querer olhar de perto a coisa toda acontecer. Afinal, aquele era um experimento científico feito justamente para observação e aprendizado, né? Pois é, senhores, o resultado foi mais ou menos esse:

Untitled-2

A PARADA EXPLODIU NA MINHA CARA!

Nem preciso dizer mais nada: Untitled-3

 

PS: Minha vó passou alguma coisa chamada “babosa” na minha cara todos os dias por semanas e não fiquei com nenhuma sequela, então fica a dica.

PS 2: Faltei na escola vários dias seguidos porque estava com vergonha de sair de casa sem sobrancelha e com um puta queimadão na testa.