Quando eu dei UMAS CAPOEIRAS num cara mais velho

Se você lê esse blog, é provável que seja um fracassado e portanto não tenha experiências positivas de brigas na escola, certo? Pois então, eu tenho muitas. Mas estava lembrando aqui de uma que foi especial porque a) eu estava na terceira série e o outro cara na sexta, portanto, era suposto eu levar uma surra dele e b) ele se achava demais, tinha fama de ser briguento, cheio de marra, arrumava problema com todo mundo, pegava todas as meninas etc etc. De qualquer forma, de nada valeu porque ele perdeu toda a reputação quando tentou encrencar comigo.

Nesse dia eu estava encostado na porta da sala, no lado de fora. Como minha sala ficava no caminho para o bebedouro, eu via todas as pessoas que iam e voltavam de lá. Esse cara (que chamavam de “Boyzinho”, se me lembro bem) tinha ido lá beber água e consequentemente voltou com as mãos molhadas. O erro dele foi jogar a água da mão na minha cara sem saber que meu tio esquizofrênico era mestre de capoeira e meu pai era professor.

Rapaz, foi foda.

Lembro que o cara começou a praticar o chamado BULLYING, ou seja, além de ter jogado água na minha cara, ele começou a rir, apontar pra mim, chamar os amigos pra ver o quanto ele era bonzão e tudo mais. Dei um PARAFUSO e acertei o pescoço do cidadão. Mais ou menos assim:

capoeira_curso_aula9O maluco caiu no chão igual uma jaca e eu fui declarado vencedor. Todo mundo riu dele e eu saí da escola bem aclamado, tanto que o número de pessoas que me perguntavam “você que bateu no Boyzinho?” foi incontável. Ganhei uma fama momentânea de uma semana e hoje em dia não acho UM PUTO que lembre dessa história.

Como não lembro de muita coisa para dar mais detalhes, fica a ilustração:

 Untitled-1