Sobre

Diga logo, quem sois vós?

Ora, acima de tudo sou eu!

Keven Fongaro. Aluno da licenciatura em Cinema e Audiovisual da Universidade Federal Fluminense (UFF); apaixonado por educação e sempre imerso na interminável busca por entender como histórias são contadas.

Sou responsável pelo perfil no instagram “@Narratologia”, onde busco ensinar teoria narrativa de um modo acessível. Cada post explica um conceito, ou alguma ideia de algum autor; sempre citando as referências bibliográficas. Alguns posts:

— “O que é uma narrativa? [A partir de Christian Metz]” 

— “Estrutura narrativa em Todorov” 

— “Tempo narrativo [em Gérard Genette]” 

— “Relações entre ‘Narrador’, ‘Focalizador’ e ‘Agente’ [em Mieke Bal]” 

Publico vídeo-ensaios no youtube, no canal “Espaço Fora da Tela”. Tento também manter lá um viés acadêmico: indico sempre uma lista extensa de textos de apoio para cada vídeo. Alguns deles:

— “Como escrever personagens mais inteligentes que você” 

— “Narração em O Fabuloso Destino de Amélie Poulain” 

— “O conceito de Eucatástrofe em J. R. R. Tolkien | Final Feliz e Contos de Fadas” 

— “Montagem Cinematográfica: Sobre o Conceito de Plano | Colagem e Planificação (Decupagem)” 

Como derivação do canal no youtube, mantenho um perfil no twitter, @eforadatela, com a proposta de postar breves reflexões sempre que assistir alguma coisa interessante. Posto por meio de “threads”, mas depois seleciono os tweets e os agrego no medium.com/@eforadatela – os textos são idênticos, mas no medium é muito mais fácil e agradável de se ler. Alguns textos:

— “A questão da mise-en-scène em Aurora (1927) e o ‘cinema moderno’ de Christian Metz” 

— “Sobre a natureza da Animação e As Memórias de Marnie” 

— “Personagens Mal-Definidos e Narrativas Formulaicas”


Esse site existe com o propósito de me manter escrevendo constantemente – objetivo que nunca foi alcançado de forma completa, mas constituiu-se como um belo e plenamente funcional laboratório de experimentação para minha escrita. Ao longo dos anos, alguns textos se acumularam aqui e ali – imagino que agora seja possível perceber quem eu sou através deles, percebendo as diferentes coisas que eles expressam.